•  
  • Eu, José Curado e Meu Carro Véio

  •  

É possível um antigomobilista que goste de um carro novo? Bem, na verdade, não tão novo assim: o empresário José Geraldo Curado, de 24 anos, tem uma paixão pelo Ford Mustang 1995, que ainda é, digamos,um jovem rapaz. Mas como ele bem diz, “o carro novo de hoje é o antigo de amanhã, e o antigo de hoje já foi novo”. Pelo que podemos perceber, esse namoro ainda vai durar muito tempo. “Se você gosta realmente de um carro, você vai continuar gostando daqui a 40 anos”, afirma.

O “Mustanguinho”, como seu dono chama o adolescente de 20 anos, foi a realização de um sonho de infância. Quando era pequeno, Curado ia ao supermercado em Cuiabá com a mãe e ficava paquerando o carro do dono do estabelecimento enquanto ela fazia compras. Era um Mustang branco, assim como o que ele tem agora.

Achar este carro foi como uma história de amor na qual duas almas gêmeas tendem a se deparar um com o outro pelos caminhos da vida, mais cedo ou mais tarde. Esse reencontro aconteceu quando, por acaso, Curado estava olhando automóveis em uma loja com o pai e reconheceu o carro de sua infância. A cena desse reencontro certamente emocionaria multidões, com direito a música de fundo e câmera lenta.

Depois de negociar com o vendedor, conseguiu um preço bom pelo carro e hoje é seu motivo de orgulho. Embora com as limitações do carro – como a suspensão traseira arcaica e sistema de eixo rígido – seu dono mostra que, de fato, só o amor é perfeito.

Confira mais detalhes dessa história na nossa websérie “Eu e Meu Carro Véio” e se apaixone também!